skate

02/05/2017

18h

Festa do Skate Total Urbe Open

Fotos: Cristina Granato

1/2

Um esporte de ponta. Uma paixão. Um estilo de vida. Muitas podem ser as definições para o skate, tamanha sua abrangência e impacto na cultura urbana. Com o objetivo de representar todo esse universo, o Oi Skate Total Urbe Open (Oi STU Open) – maior competição mundial de skate da América Latina – aconteceu na Praça Duó, de frente para a praia da Barra da Tijuca. Durante seis dias, o local recebeu 224 skatistas de 17 países, entre eles, os maiores nomes da modalidade street, além de uma grande programação cultural que contou com shows, oficinas, debates e exposições. E o melhor: tudo isso com acesso gratuito.

Do pentacampeão mundial Kelvin Hoefler à referência do rap brasileiro Marcelo D2; da bicampeã dos X Games Pâmela Rosa a uma das principais representantes do rap feminino nacional Karol Conka. A Praça Duó, importante local para o skate carioca, foi ocupada por um movimento que extrapolou os limites do esporte, expressando-se de forma espontânea na música, no comportamento e nas artes em geral. Os cinco sentidos voltados para o skate, que transformou o Rio em sua capital mundial ao longo de uma semana.

A Praça Duó passou por uma reforma para ampliação de sua pista, tornando-se um legado do evento para a cidade.

 

Ansiosamente esperado pelos maiores ídolos do street, o evento teve a maior premiação já vista em um torneio de skate na América Latina: R$ 400 mil, no total. No torneio masculino, além de Kelvin Hoefler (campeão do Supercrown da Street League e pentacampeão mundial pela World Cup Skateboarding – WCS) e Luan Oliveira  (duas vezes campeão da Street League e do Tampa Pro), garantiram presença Ivan Monteiro, atual campeão mundial pela WCS, e os veteranos Rodil Ferrugem e Carlos de Andrade, ambos bicampeões mundiais pela WCS.

 

Já a lista de atletas estrangeiros contou com os canadenses Ryan Decenzo (duas vezes ouro nos X Games e skatista da Street League) e Micky Papa (skatista da Street League e finalista do Tampa Pro), o australiano Tommy Fynn (skatista da Street League e finalista top do Tampa Pro), e o norte-americano Dave Bachinsky (skatista da Street League e finalista do Tampa Pro), além dos argentinos Dario Matarollo e Milton Martinez, dos franceses Ben Garcia e Robin Boilan e dos russos Egor Kaldikov e Egor Golubev.

 

No feminino, além da bicampeão mundial pela WCS e duas vezes medalha de ouro nos X Games, Pâmela Rosa, a disputa teve a presença de grandes nomes: a austríaca Julia Bruckler, atual campeã mundial da WCS, a veterana norte-americana Alexis Sablone, vice-campeã da WCS em 2015 e terceira colocada no torneio Supercrown da Street League em 2016, a também norte-americana Mariah Duran, atual quarta colocada no Supercrown da Street League e medalha de prata nos X Games do ano passado, e a holandesa Candy Jacobs, segunda colocada no Circuito Mundial da WCS em 2016.

O evento celebrou a essência do movimento urbano e suas principais manifestações. Localizada no centro da praça, a Oi STU House contou com oficinas de ilustração de shapes, tipografia, produção de vídeos com celulares, e grafitti.

Entrevistas com figuras importantes da cena do skate, como Homegrown e Rio Ramp Design, também fizeram parte da agenda. Na parte externa, a galeria apresentou artes de Flavio Samelo (SP), SESPER (SP) e Mottillaa (RJ), além de fotografias de Ronaldo Land (RJ), Alex Carvalho (RJ), Clissa (RJ), Renne Jr. (RJ) e Carol Bertrand (RJ), com cinco fotos de 60x40cm de cada artista.

Outro destaque da galeria foi a exposição de shapes da Multi Grab. Organizado por Luis Otavio Madruga e João Burle, o "Bives", o projeto tem edições anuais e convida inúmeros artistas de diferentes vertentes a customizar manualmente e expor shapes de skate. Foram expostos 20 shapes do acervo Multi Grab. Quando o assunto é o audiovisual, a exibição de vídeos contou com curadoria de Dalmo Roger, completando o ambiente de diálogo entre as mais variadas formas de expressão cultural urbana.

O Oi STU Open, etapa do Circuito Mundial de Street 2017, foi apresentado pela Oi, viabilizado pela Secretaria de Estado de Esporte, Lazer e Juventude (SEELJE), e contou com o Windsor Hotéis como hospedagem oficial. O torneio teve coordenação técnica da Confederação Brasileira de Skate (CBSK) e da Federação de Skateboard do Estado do Rio de Janeiro (Faserj), arquitetura pela Rio Ramp Design, curadoria artística da Homegrown e realização/idealização da Rio de Negócios.

A Rio de Negócios é uma empresa de projetos que atua nos setores da economia criativa. Ela pensa a cidade e suas interações, a fim de entender suas dinâmicas socioculturais e processar as demandas desse contexto. O objetivo é oferecer soluções únicas e experiências inovadoras para parceiros e público. O que motiva a Rio de Negócios é trabalhar por um novo patamar no desenvolvimento de projetos em cultura, esporte e entretenimento. O Rio é a principal fonte de inspiração da empresa.

"O chic do rio" é uma publicação da Mago Ideias de Comunicação ltda. Veja aqui o expediente.

assine nossa newsletter aqui.

  • Grey Facebook Icon
  • Grey Twitter Icon
  • Grey Pinterest Icon